'Método, Método, que queres de mim? Bem sabes que comi do fruto do inconsciente.' Jules Laforgue

sábado, 12 de setembro de 2009

óleo sobre tela de Nkulu




óleo sobre tela, de Nkulu ( Angola)
fotografia de mariagomes
[...]

A minha alma é Sonora!...

Bailado de Petrus Ivanowitch Zagoriansky
(fragmento)

in " Céu em fogo", Mário de Sá-Carneiro
edição Assírio & Alvim

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

a grafia da cal

terei sempre a grafia da cal num coração novo exterior
cheio de mar ou anémonas ou rosas num ímpeto
eivadas de sangue
na paridade mais viva do poema estelar
até à cúpula da morte
até a um silvo leve e límpido de sol.

mariagomes
26 agosto 2009

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Quem disse que a pintura deve parecer-se com a realidade?
Quem o disse vê com olhos de não entendimento
Quem disse que o poema deve ter um tema?
Quem o disse perde a poesia do poema
Pintura e poesia têm o mesmo fim:
Frescura límpida, arte para além da arte
Os pardais de Bian Lun piam no papel
As flores de Zhao Chang palpitam
Porém o que são ao lado destes rolos
Pensamentos- linhas, manchas-espíritos?
Quem teria pensado que um pontinho vermelho
Provocaria o desabrochar da primavera?


SU DONGPO (China, 1035-1101)
-trad. Adelino Ínsua



poema gentilmente enviado por Amélia Pais



quinta-feira, 13 de agosto de 2009

o que os meus olhos vêem, o que os teus olhos vêem,
será talvez o litigo da solidão profunda,
o ar, em suma,
num silêncio irredutível, livre, lírico , tão longínquo,
num lugar antes do tempo.

mariagomes
agosto de 2009

terça-feira, 4 de agosto de 2009




O ar.......................passa

através das palavras.


António Ramos Rosa

in antologia poética
publicações d. quixote





segunda-feira, 27 de julho de 2009

terça-feira, 21 de julho de 2009

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Photobucket

[...]

Toda a moral encerra uma palavra.
Proponho fotografar.

O adjectivo corrompe.

Ruy Duarte de Carvalho
in memórias do intervalo
pg 36
editorial Nzila




quinta-feira, 16 de julho de 2009

secreta é a manhã precipitando o teu nome...

a sua leveza é o único ponto que pronuncio
agora que o sol nasceu.


mariagomes

quarta-feira, 15 de julho de 2009

quinta-feira, 9 de julho de 2009

não acordes os meus sonhos
eu não me demoro
há nos meus sonhos um poema estival
como um sol
as minhas sensações são almas sóbrias

os meus olhos
o limbo de todos os crepúsculos.

marigomes

terça-feira, 7 de julho de 2009

Quem sou eu

Minha foto
Podes entrar ; tenho as mãos para dizer o disperso canto das águas. Os meus olhos, alagados pelo grito das árvores, são lúcidos ao início do sol. Com o amor das coisas, rejubilo e lanço os braços a um rodopio doce e futuro, a uma tempestade humana. Tudo o que eu espero é sentir o elo da criação que se move, entre mim e ti, e a claridade. ____________mariagomes

A invenção do amor - Daniel Filipe

Seguidores